quinta-feira, agosto 16#SoumaisoPolêmico

UMMI: Menino de 2 anos introduz bateria de brinquedo no nariz.

Medeiros Neto: Um menino de dois anos e sete meses de idade introduziu uma bateria dentro do nariz, no final da tarde da última sexta-feira (3), na cidade de Medeiros Neto. A mãe acredita que ele tenha aberto um brinquedo e retirado a bateria.

Segundo a mãe, a queixa do garoto foi imediata, apontando para o nariz para que ela entendesse o que havia ocorrido. Ele não deu febre, mas ficou agoniado, com coriza e respirava na maior parte do tempo pela boca.

A criança foi levada para o Hospital Municipal de Medeiros Neto onde fez um raio x para localizar a bateria na narina. De lá o menino foi encaminhado para a Unidade Municipal Materno Infantil (UMMI), em Teixeira de Freitas. A secretaria da Saúde de Medeiros Neto providenciou uma ambulância para o deslocamento imediato.

Na UMMI não havia otorrinolaringologista, a previsão seria a de que o especialista atenderia a criança apenas no dia seguinte, depois das 8h. Mesmo assim, a mãe e seu filho foram muito bem recebidos pelos funcionários e pela equipe médica.

Por volta das 22h, entretanto, a criança chorava muito, queixando-se de dor. Aí a médica Thais Foligno, que estava de plantão, muito competente, habilidosa e com a cautela que o caso requeria, depois de fazer a limpeza da secreção das duas narinas, retirou a bateria.

“Foi um alívio ver o meu filho bem, estava muito preocupada com esta situação”, disse a mãe ao Água Preta News, logo depois que a bateria havia sido retirada. “Quero agradecer a todos que me ajudaram no hospital em Medeiros Neto e aqui em Teixeira de Freitas, inclusive aos meus familiares”, completou.

Após a retirada da bateria a criança ainda fez dois raio-x na UMMI para averiguar se havia outro corpo estranho na narina, antes da alta médica.

Prevenção

Aspirar ou engolir moedas, baterias e objetos plásticos não é uma situação rara entre crianças pequenas, segundo o médico Alessandro Danesi, pediatra da equipe do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

No caso de pilhas e baterias, o perigo é que esses objetos contêm material radioativo, que podem ser absorvidos pelo organismo, lesionar mucosas ou cartilagens e provocar infecções graves e até a morte.

Prevenir este tipo de incidente, diz o pediatra, deve ser prioridade para os pais assim que o bebê começa a engatinhar. “Precisa colocar redes e travas em casa, evitar objetos pequenos espalhados no chão e tomar cuidado com produtos de limpeza, porque podem lesionar o trato digestivo”.

Fonte: Aguapretanews

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *